movimentoiincriativohttp://www.m-incriativo.orghttp://www.m-incriativo.orgshapeimage_2_link_0

O Capuchinho Amarelo

Encenação

Intérpretes

Direção de Movimento

Música original

Cenografia e desenho de luz

Figurinos

Máscaras


Máscara Lobo

Decoração de cenografia e adereços

Assistente de Produção

Produção

Coprodução

Apoios


Patrocínios

Agradecimentos

Hugo Sousa

Paulo Freitas, Bibiana Figueiredo

Carlos Silva

António Rocha

Jonathan Richter

Carla Silva, Celeste Sousa

Álvaro Jaime Pacheco, Lígia Almeida e alunos
do ensino vocacional do 3º ciclo da EBS de
Campo

Juliana Ribeiro

Tania Correia

Laura Alves

Associação Movimento Incriativo
Cabeças no Ar e Pés na Terra

Município / Casa das Artes de Arcos de Valdevez

Balleteatro
Fundação Crédito Agrícola do Noroeste

Gessos Ibéricos

Fernanda Lima

Ficha Artística e técnica

Era uma vez uma menina que vivia como uma princesa, tudo o que queria, tinha e por isso vivia numa apatia enorme... era também uma vez um menino que tinha muito medo de muita coisa e por isso refugiava-se atrás de uma máscara... a menina vivia com a mãe que tinha muito pouco tempo para ela, pois tinha que trabalhar muito e arrumar a casa... o menino vivia com o pai que era muito severo e não o deixava usar a máscara nem ao pequeno almoço, nem ao almoço nem ao jantar... a mãe da menina, como não tinha tempo de ir levar a comida à avó que estava doente, mandou a menina com o seu Capuchinho Vermelho... o menino farto de viver com o pai decide fugir de casa... a menina para ir para casa da avó tem que atravessar a floresta que estava repleta de coisas maravilhosas, pássaros, árvores com formas esquisitas, flores muito bela... mas a mãe da capuchinho dizia sempre "Não pares pelo caminho e não fales com estranhos"... o menino como tinha muito medo de tudo, de sombras, de cheiros, do escuro, na floresta decidiu andar com a sua máscara de lobo, pois com ela sentia-se muito mais forte... escusado será dizer que o menino e a Capuchinho se encontraram na floresta. Ela não o achou estranho e por isso, falou com ele, ele teve um pouco de medo dela e não tirou a máscara... e depois? Depois... é ver o espetáculo.